domingo, 22 de novembro de 2015

Testei o Lápis pastel PITT Pastel da Faber Castell

Olá artistas e arteiros de plantão!

Hoje eu vim contar o que achei do lápis pastel Pitt da Faber.
Para você que não conhece, o lápis pastel é uma maravilha da humanidade porque não suja a mão e dá para apontar, pintando melhor áreas menores em que sofreríamos horrores com o giz pastel seco normal.

Eu usei para pintar este cartão de boas vindas para uma menina muito fofa chamada Bella. Quando vi a foto dela na internet adorei o cabelinho dela e aqui desenhei com meu traço de cartum, uma mistura meio do chibi com os desenhos americanos.


O lápis é fácil de aplicar, só não pode apertar se quiser esfumaçar depois senão ele marca por ser um pouco mais durinho que um giz pastel seco normal.



Eu não tenho muitas cores porque minha irmã trouxe estes da França para mim e comprou avulso, então apliquei o mais parecido com tom da pele da Bella no contorno do rosto, depois esfumacei com o dedo e para deixar com efeito de pele de bebê passei um lápis pastel branco da Cretacolor que tenho.


Super recomendo o material, quando puder vou comprar mais cores porque realmente é muito prático.

5 girassóis de Van Gogh para o lápis pastel da Faber!


Espero voltar em breve, desculpem a falta de atualização do blog tá!

sábado, 10 de outubro de 2015

Testei o lápis de cor Prismacolor Premier 48 cores!

Olá artistas e arteiros de plantão!




Gente, infelizmente não estou atualizando o blog como queria, o tempo com a bebê está curtíssimo e estou sacrificando o blog, mas vou atualizar sempre que puder tá!

Hoje eu venho mostrar este lápis riqueza da Prismacolor, um dos mais usados em vídeos internacionais e que deixa a gente babando nos retratos principalmente.

Este lápis é bem raro de se achar para vender em papelarias aqui no Brasil, geralmente tem que encomendar de alguém ou comprar nos Estados Unidos. Pedi para uma pessoa procurar na França e não encontrou lá.

Com o dólar nas alturas não está para qualquer um comprar agora.


Eu experimentei ajudando minha aluna Patrícia a arrumar alguns detalhes do retrato dos pais dela, como vocês podem ver aqui abaixo. Ela não é profissional, mas observem a textura da pele como ficou bonita.




Principais cores usadas para fazer a pele



O que este lápis tem de diferente?

Em primeiro lugar o que me chamou a atenção foi a maciez. Ele é tão mole que parece que você vai ter que gastar a caixa inteira em um desenho só hehehe. Mas que nada viu! O lápis gastou um pouco, uma boa surpresa!

Só tem que tomar cuidado quem tem mão pesada, aí realmente este lápis não aguenta nada viu e fica empastado.

Em segundo lugar achei que as cores misturaram super bem e para dar um efeito de pele mais lisa usamos primeiro os tons mais escuros para marcar as sombras e depois os tons de pele mais claros e o branco.

Sinceridade, fiquei chocada com o resultado!


As cores são boas, nada de cores bizarras que ninguém quase usa. Só trocaria na caixa o prata por um cinza, que acabou fazendo falta.

Gostei muito da caixinha que é de metal. As repartições para comportar os lápis são de plástico, fica tudo bem organizado e separado.

O único problema é o preço, a Patricia disse que pagou 140 dilmas em uma época com dólar baixo, agora o preço deve estar nas alturas.

Resumindo...

O lápis Prismacolor é um lápis bem diferente do que encontramos aqui no Brasil por ser mais macio, bem legal para fazer retratos.
Apesar da maciez ele rende bem e ajuda a dar um efeito muito bonito na pintura de pele.

É difícil de encontrar e o preço não está dos melhores, mas acho que vale o investimento pelo efeito diferenciado. Cinco girassóis de Van Gogh para ele.



quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Giz pastel seco da Faber Castell

Olá artistas e arteiros de plantão, tudo bem?

Nossa gente, desculpe, que saudades do blog! Minha vida de recém mãe que voltou ao trabalho está difícil, super corrida e eu angustiada porque tenho tantas novidades aqui pra mostrar pra vocês, ai, aguardem!

Além do trabalho tenho minha bebê, a Angelina, que está ultra mega esperta, uma graça, e que não deixa a mamãe usar o computador porque ela quer usar junto, e aí não dá.

Giz pastel seco na minha vida é sinônimo praticamente da Koh-i-Noor, porque aqui em Mogi Guaçu, S.P., onde vivo passeando pelas papelarias é o que encontro. Porém algum tempo atrás me apareceu este da Faber Castell.

Esta linha da Faber disseram ser a melhor então fiquei bastante empolgada para
Usei esta caixinha com doze cores, que são bem sortidas e bonitas, muito úteis para você que não tem medo de se jogar na cor.

O que achei do produto?
Gostei primeiro de ser um bastão, detesto aqueles que vem com um papelzinho ou plástico e eu fico perdendo tempo para tirar,hehehehe.


Não pude trabalhar com camadas porque o giz não é meu, mais pelo que usei as cores são miscíveis entre si e tem que aplicar com delicadeza, se pesar a mão fica marcado, igual neste desenho rápido da Angelina que fiz com ele (sim, minha filha musa inspiradora de novo #aguentem# rs).


Este giz pastel seco é de um aluno meu que comprou porque gostou das cores e acho elas bem legais para fazer o fundo dos seus desenhos em quadrinhos. Realmente para ele vale a pena, pois olha que lindo ficou esta releitura que ele fez!
O único problema que achei é o preço, em média 80 reais (por 12 cores) em sites virtuais aqui no Brasil.

Resumindo...
Achei o giz muito bom, cores bem vivas e miscíveis, só não gostei muito do preço, mas mesmo assim vale o investimento por ser de alta qualidade (não aqueles escolares baratíssimos). Por isso vou dar 5 girassóis de Van Gogh para o giz pastel seco da Faber.


quinta-feira, 9 de julho de 2015

Papel Montval Torchon para aquarela da Canson



Olá meu povo artista e arteiro, tudo bem?

Sim, eu sumi, sim eu estou voltando aos poucos e sim, estou morrendo de saudades deste blog, que acabou de fazer mais um ano! Parabéns pra mim e para vocês que sempre aparecem aqui para me prestigiar!

Gente, bebê dá um trabalho, tô sem tempo para nada, mas sempre que der vou dar uma atualizada aqui :D

Olha só a Angelina (minha bebê) na minha versão aquarela. Até parece parente do Van Gogh :D

Freitas, Josilene. Angelina bebê. Aquarela sobre papel. 2015

Falando em bebê, já estava sofrendo bullying por não ter desenhado minha pequena Angelina....Como se ela me desse muito tempo,kkkkk.

Aproveitei uns dias mais tranquilos e fiz esta aquarela da minha anjinha para testar o papel Montval para aquarela da Canson! Não gostei muito do meu desenho, depois de pronto achei meio deformado, depois faço outro.



Pra quem não sabe, a Canson tem uma linha grande de papéis para artistas e gráficas (não é só aquele bloquinho que sua professora pedia na escola,rs) e cada papel tem uma função, uma textura e uma gramatura diferente.

O diferencial deste é que ele é mais grosso, tem fibras naturais para ficar mais resistente e aguentar várias camadas de pintura além de uma textura rugosa (tem o liso também), o que dá um charme a mais no trabalho. 


É um papel que recomendo para quem gosta de uma pintura mais solta e livre, pois tem horas que perdi o controle da tinta na fibra do papel, mas no final curti muito o efeito. Aí é questão de gosto né...

Também deixo uma dica aqui, não fiquem apagando com borracha de látex ou limpa tipos, ou melhor, não abusem da "esfregação" neste papel, senti que deu uma esfarelada leve onde apaguei demais.

O único problema é o preço, mas, se vamos pensar no stress de estragar um desenho por um papel inadequado, vale muito a pena.

Cinco girassóis de Van Gogh para este papel de aquarela da Canson!





sábado, 6 de junho de 2015

Giz pastel oleoso Aquatic Cretacolor


Olá artistas e arteiros de plantão, tudo bem?

Na minha última compra de materiais pela internet, vi o anuncio de um produto que me chamou muito a atenção, um giz pastel aquarelável. Já fiz até post sobre isso no blog, aquarelando o giz pastel seco, imagina se não ia comprar para testar,kkkkk.

Só tem um probleminha, eu achei que eram giz pastel seco e não, eram oleosos. Tenho uma certa aversão ao oleoso, apesar de serem baratos não espalham com facilidade e podem grudar na página do lado(no caso de sketchbooks e livros de pintura antiestresse, dependendo da quantidade usada). Já ouvi até falar de um desenho que acabou grudando no vidro da moldura e estragou tudo, imaginem o pânico!

Então não fiquei testando muito este giz pastel friccionando o dedo, só usei como aquarela, e apesar de achar bizarro um giz pastel oleoso aquarelar (fico lembrando da aula de ciências e da professora falando "água e óleo não se misturam" kkkkk) resolvi usar.

Genteeeeeeeeee, apaixonei pelo material!

Os pigmentos são ótimos, super solúveis e não deixaram marcas nenhuma na folha, bem melhor que muito lápis de cor aquarelável neste quesito.

Vejam a folha super outono que pintei com ele!



Aqui algumas cores que comprei também para vocês verem.



Eu comprei eles avulsos, mas são vendidos em caixinhas também!


Não cheguei a fazer isso, mas acho que é possível aplicar sobre o papel e esfumaçar com esfuminho.

Paguei por volta de R$5,50 por unidade.


Resumindo...

Apesar de ser um giz pastel oleoso, este material possui ótimo pigmento de grande qualidade que é de fácil dissolução em água. Só tem um preço meio salgado, mas vale a pena porque dura bastante. Cinco girassóis de Van Gogh para o giz pastel Aquatic da Cretacolor.


sábado, 30 de maio de 2015

Pincel com reservatório Koi Water Brush da Sakura


Olá artistas e arteiros de plantão!

Faz um tempinho eu estava assistindo ao programa da Fátima Bernandes e vi um chargista mostrando seu sketch book e que faz aquarelas em bares no Rio de Janeiro. Para não ter que montar toda nossa querida bagunça criativa (sou destas,kkkk) ele usa poucas cores para colorir e um pincel com reservatório. Imagina que não cobicei? kkkkk. Procurei na internet e achei este modelo da Sakura.

Como funciona?

A parte debaixo é um reservatório que você deve encher com água. Antes de iniciar o uso é preciso encaixar o reservatório no pincel e apertar levemente para a água descer até as fibras do pincel.



Como diz a embalagem, o tamanho da ponta pode ser o pequeno, médio ou grande. O meu é o médio.


Aqui mostro o reservatório com água. Achei bem legal porque a água vai saindo e umidificando as fibras da ponta.Rende muito a água, ajuda na economia!


Outra coisa que gostei foi que a ponta é bem fácil de lavar, claro se você fizer isso logo. Recomendo na hora de usar ter um papel toalha para ir limpando a ponta e não deixar acumular produto.


Apesar da fibra ser sintética e bem durinha não tive problemas de machucar o papel (testei em papel de aquarela, só vou ficar devendo fotos para vocês).

Enfim, adorei o produto, vou usar bastante, com certeza! Cinco girassóis de Van Gogh para este pincel!


sábado, 23 de maio de 2015

Caneta gel, como usar? Testei a Uniball Signo Angelic Colour


Olá artistas e arteiros de plantão, tudo bem?

Hoje eu vim falar da minha experiência com canetas gel. No começo torcia o nariz porque não gostava muito de misturar técnicas, mas ultimamente tenho visto muita coisa boa no seu uso.

Uma das coisas é a alta cobertura em superfícies secas e que não tenham pigmentos que possas se mesclar com sua tinta (tipo lápis aquarelável), o belo acabamento e como é legal usar estas canetas para fazer brilhos e pequenas correções. Também na maioria dos casos não transfere para o lado de trás, o que é ótimo para quem está pintando nos sketch books (cadernos de desenho em bom português) ou nos livros antiestresse.

Já usei muito as canetas douradas e prateadas para fazer cartões de papel vegetal (#anos90 #tôvelha kkkk), mas sempre para escrever, não para pintar, aliás, elas como tem uma ponta pequena não se prestam para pintar grandes superfícies ( a não ser que você seja rico ou dono da fabrica porque elas acabam logo).

Vamos ver a caneta em ação!




Fiz um teste em um papel com textura e achei que ficou muito legal, olha como destacou!


Já passando em cima do lápis aquarelável tive um pouco de problemas, a tinta da caneta se misturou com o pigmento do lápis, então aqui fica o meu alerta para vocês não fazerem esta combinação a não ser que tenha uma boa camada de lápis, quase encerando. Cuidado também se passar em cima de uma camada de nanquim, tem que estar extremamente seca e não ficar riscando várias vezes  porque o feito de mesclagem da tinta gel e o pigmento acontece também.



Tirando isso achei super válido meu investimento, a caneta me ajudou a fazer uns brilhos bem legais no meu último desenho, o retrato da Giovana.

Freitas, Josilene. Giovana. Técnica mista sobre papel. 2015



Resumindo...


A caneta gel deve ser usada sobre superfícies secas ou sobre materiais de pintura secos ou sem pigmentos que possam misturar-se a tinta dela. Possui boa cobertura e é uma mão na roda em trabalhos detalhados. Em especial esta da Uniball gostei muito, pena que acaba logo e é meio cara, paguei quase 9 dilmas nela, mas pela qualidade vou dar cinco girassóis de Van Gogh para ela.



domingo, 17 de maio de 2015

Livros interessantes antiestresse



Olá artistas e arteiros de plantão!


Tudo bem com vocês? Sim, eu estou mega atrasada neste post, mas como estou na expectativa da chegada dos meus livros de colorir antiestresse, aproveito para postar aqui os que achei com temas mais interessantes, para desestressar e até servir para estudar e aumentar conhecimentos estéticos e científicos. Eu comprei os mais famosos, se gostar vou investir nesses e mostro aqui minha prévia seleção (daqueles que tem conteúdo interessante e não caíram no piegas ou no brega, hehehehe) :D

Bichos

Só porque eu  amo gatos,kkkk, e estes me interessaram!




De literatura

Ai gente, que fofo! Um clássico da literatura!





 Com conteúdo artístico


Achei super legal a ideia porque é uma forma das pessoas conhecerem mais as obras e os artistas, mas confesso que dá um certo "medinho" de ver algumas pessoas tentando pintar os desenhos como os artistas e professores fotocopiando as imagens para os alunos pintarem.Até pode, dependendo da proposta. Pelo amor de Deus hein gente, criatividade acima de tudo!

 



Mandalas


Achei o mesmo dos livros com conteúdo artístico e acho que devem ser um dos mais relaxantes, mandalas tem este ligação com o religioso. Também tem a relação com a matemática, e não deixa de ser uma forma de estudo.


Científico



 Confesso que achei genial, já pensou que forma gostosa de estudar? Acho que deveriam lançar logo o com desenho de outros temas, eu iria adorar um de física e química. 

E aí, quais vocês compraram e me indicam?


quarta-feira, 29 de abril de 2015

Materiais para comprar para a pintura de livros antiestresse

Olá artistas e arteiros de plantão!

Estes dias tive um susto, muito bom! Do nada vi este blog e o meu canal no youtube (que só tem um vídeo decente,kkkkk), o endereço é  artjosi, que está  bombando de acessos na internet.

Tudo devido a uma nova mania que vocês já devem ter ouvido falar, os livros de colorir anti-estresse.

Acho muito legal as pessoas redescobrirem o poder da arte como terapia, por isso que adoro meu trabalho :D

Se vocês navegarem no blog no item marcadores vão achar resenhas de vários materiais, principalmente de lápis de cor. Tá impressionante como estão acabando os lápis de cor dos sites de compra,hehehehe.

Estou assustada com a quantidade de vídeos e blogs falando de materiais caríssimos para pintura destes livros. Calma gente, não precisa estourar seu cartão de crédito com lápis de cor, antes que vocês gastem horrores em materiais queria deixar algumas dicas:


Para pessoas que nunca pintaram nada na vida


Recomendo começar comprando lápis de cor normal e só.
Primeiro, se você não está acostumado com pintura, pode ter problemas com canetinha e lápis de cor aquarelável e vai que você não gosta muito da coisa...
Alguns de boa qualidade que recomendo são os lápis de cor da Staedler, Faber,  Maped, Cromus e Norma. (Todos tem resenha no blog, menos o Norma e o Staedler. Procurem no item marcadores!)




Para quem já tem alguma experiência


Ai se você pegou gosto pela coisa vale a pena investir em um lápis aquarelável bom (por ser mais macio dói menos a mão para pintar). Recomendo as marcas Faber, Staedler, Caran d'Ache e Koh-i-Noor. Também por ter mais controle da mão acho que vale a pena investir em canetinhas.


                                                                                                          





Nível "Já peguei o jeito da coisa"


Chega uma hora em que os lápis de cor  e canetinhas não serão suficientes, Outros materiais artísticos legais são o giz pastel seco (o giz pastel oleoso vai estragar o seu livro!). Tinta guache e canetas para pintura (como as da Posca e da Copic) vão valer a pena. Tintas como PVA e guache podem ser usadas, mas com moderação, porque não são todos os livros que tem páginas que suportam tintas.


 Canetinha com ponta fina boa para pintar detalhes!

 Lápis pastel, acho super prático!

Giz pastel em bastão é bom para pintar o fundo dos desenhos.


Em breve, assim que meus livros de pintura chegarem, vou postar vídeos no meu canal, se inscrevam lá :D