domingo, 28 de julho de 2013

Caneta nanquim Uni Pin

Olá pessoal!

Hoje eu vim aqui falar de um material que gosto muito, as canetas nanquins descartáveis da Uni Pin.
Esta que estou mostrando é a O.3, mais existem mais finas e mais grossas. Depende do que você quer fazer.
A diferença da caneta nanquim para as hidrográficas é que, como já diz o nome, as hidrográficas não são tão concentradas, são mais suaves. A tinta nanquim não. Tem muita gente que viu meus desenhos contornados com ela e perguntaram se eu havia impresso (é tão legal ser comparado com máquinas, que são ligadas à ideia de perfeição, não acham?).

Agora por que canetas descartáveis? É que até umas duas décadas atrás só tínhamos a opção de canetas recarregáveis. Eu acho elas ótimas, você pode comprar nanquim colorido e ir trocando as cores dela porém larguei a mão de usá-las porque na hora de limpá-las eu entortava sempre uma agulha que elas tem por dentro. Aí meu amigo, entortou o tal do araminho, já era!

 A caneta como eu tinha, com o depósito de tinta vazio.
As canetas nanquins descartáveis foram uma evolução na minha vida, e esta da Uni Pin tem um preço bom e são fáceis de se encontrar, além de ter um preço bem amigo. Cinco girassóis de Van Gogh para ela!
A ponta parece a de uma canetinha comum, porém não se engane! A tinta é potente, fosca, com ótimo acabamento!

Momento curiosidade:  A tinta nanquim já foi feita a partir da tinta preta liberada pelos moluscos marinhos da família dos octópodes (polvo e lula). Hoje as tintas são fabricadas a partir da mistura de aglutinantes e um pó escuro conhecido como pó-de-sapato (fuligem).

Para terminar, deixo aqui uma péssima foto de um dos últimos desenhos meus em pontilhismo usando esta caneta. O que vocês acharam?


Até mais galera da Arte! :D

sexta-feira, 26 de julho de 2013

O que achei da peça Camille e Rodin

Olá pessoal!

Queria deixar aqui uma dica, caso esta peça passe pela cidade em que vocês moram. É uma peça que conta a relação conturbada de Camille Claudel e Rodin.

 Leopoldo Pacheco como Rodin e Melissa Vettore como Camille.



Assisti a peça em Paulínia, que têm um teatro muito bom.
Caso você não conheça a história dos dois personagens principais, recomendo fazer uma pesquisa antes. Acho que quem não conhece o intenso caso de amor dos dois e sua relação artística vai boiar e achar chato.
O texto do teatro é bem descritivo e rebuscado na minha opinião, mas eu gostei porque os atores são excelentes, o cenário é lindo, a música de arrepiar e eu babei com a iluminação,hehe. Parecia um quadro do Degas, uma luz suave passando pelo vidro levemente empoeirado.

Rodin foi um dos maiores escultores, uma das suas obras conhecidas é "O pensador".


Fica aqui minha dica então, quem quiser maiores informações pesquisei neste site e no facebook da peça aqui.

Até mais pessoal!

terça-feira, 23 de julho de 2013

Pintura em velas

Olá pessoal!

Aproveitando esta visita do Papa ao Brasil resolvi falar para vocês sobre uma encomenda que fiz para a Páscoa deste ano, a pintura do círio pascal.


Primeiro fiz uma base com branco, amarelo e marrom. Estou segurando um godê e usando um pincel suave, de pelo de marta.
 Dos dois lados do Cristo estão desenhados e pintados os apóstolos.
Para quem não sabe é uma vela usada na Igreja Católica para simbolizar o Cristo ressuscitado. O padre pediu para que eu pintasse na vela justamente a cena em que Cristo mostra suas chagas aos apóstolos.

Foi um enorme desafio porque eu nem sabia que tintas usaria. Pesquisei em vários blogs e utilizei tinta a óleo (as mesmas usadas em telas).

Outra dificuldade foi passar o desenho para a vela. Acabei fazendo um decalque (fiz o desenho em um pedaço de papel vegetal e passando a caneta e marcando o desenho. Para dar relevo "afundei" o desenho

Achei bem difícil porque a tinta demora para secar, tive que apelar para o secante de cobalto, um produto que acelera este processo.


 Trabalho indo para a fase de acabamento final.

No final gostei do resultado, só achei que o dourado não pegou direito, o que vocês acham?


Foi minha primeira experiência e se no ano que vem voltar a repetir vou tentar outros materiais.

Tchau para todos! Até o próximo post pessoal! :D

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Criando um personagem.



Estava lembrando estes dias de como é difícil criar um personagem e de como meus alunos possuem esta dificuldade. No teatro, por exemplo, acham que interpretar é simplesmente decorar um texto e falar na hora da apresentação.

Em primeiro lugar temos que pensar que um personagem tem vida, e se ele está vivo (ou viveu um dia) tem uma história e precisamos entender esta história para construi-lo.
Em segundo lugar o ator, o desenhista da história em quadrinhos, o ilustrador, o bailarino, etc, tem que pesquisar o contexto da vida do personagem, a época em que ele viveu ou, se estiver em um "planeta" novo ver as características deste lugar e como influenciam em seu jeito de falar, de se vestir, etc.

Para ajudar criei uma entrevista baseada em textos de alguns autores de teoria teatral como os jogos de Viola Spolin. Espero que ajude vocês também!

É um jogo onde você vai imaginar seu personagem em um programa de entrevista:

1) Como ele entraria neste programa? Sua postura seria tímida, intimadora, extrovertida? Crie este caminhar.

2) Como ele (ou ela) se sentaria na cadeira? Como a roupa poderia influenciar nisto?

3) Agora de fato começa a entrevista! Como seu personagem responderia a estas perguntas:
a) Qual o seu nome completo?

b) Você gosta do seu nome? Tem apelido (qual a origem dele)?

c) Como é o lugar que você vive? Você gosta dele? Descreva o que você gosta e o que não gosta.

d) Se você ganhasse um vale viagem de uma semana, qual destino escolheria?

e)  Qual pessoa você admira? Por quê?

f) Qual o seu prato favorito?

g) O que deixa você furioso (a)?

h) Qual pessoa você mais ama no mundo?

i) Deixe uma mensagem final aos nossos telespectadores? (Clásssiiiicaaaa,kkkk)

É um exercício relativamente simples, talvez você tenha que pesquisar e principalmente usar muitoooo a sua criatividade. Acho legal este jogo porque em um teatro, por exemplo, seja necessário você improvisar. Se você souber as características do seu personagem e tiver bem mais elas bem claras fica bem mais fácil e verossímil.

Agora  quem gosta de artes visuais e de teatro também pode desenhar os personagens, assim como eu fiz com o Cupido ou neste desenho meu colorido usando Photoshop, para o cartaz do teatro "O fantástico mistério de Feiurinha", de Pedro Bandeira. Alguns personagens foram fáceis de criar, outros tive que usar muito a minha imaginação. Sofri muito para mudar as cores dos contornos no programa e para deixar as sombras como queria.

Espero que tenha ajudado! Até a próxima pessoal!



 

domingo, 21 de julho de 2013

Os milagres da lápis borracha Perfection Eraser 7057

Olá pessoal!

Não escrevi estes dias pois além da internet ficar off aqui em casa por 2 dias (moro em uma chácara longe da cidade, aí já viram né,rs) e fui parar no hospital. Tudo bem, vou passar uma borracha em cima disso e vamos em frente!

Falando em borracha queria falar aqui com vocês de uma lápis borracha que amei, o Perfect Eraser 7057 da Faber Castell!




Estes dias fazendo o desenho do meu Cupido para minha peça de teatro passei por um apuro só. Percebi que quando finalizei o cinto dele tinha ficado torto. E para apagar caneta nanquim? Missão quase impossível!

 Ai apelei para este lápis. Ele funciona assim: de um lado ele apaga nanquim e do outro é uma borracha mais suave, para apagar lápis 2B, por exemplo. Funcionou bem, ufa!

Lógico que vou deixar o alerta aqui para os iniciantes: Nanquim é para se passar quando você tem certeza do seu desenho está do jeito que você quer, e para este lápis ser realmente "perfeito" seu papel tem que ser bom, de uma gramatura legal. Não indico de jeito nenhum em folhas sulfites! Aliás, detesto borracha normais, fazem sujeira, atrapalham na hora da pintura (as vezes fica um rastro delas no papel). Prefiro meu bom e velho limpa-tipos (borracha artística) para clarear minhas linhas e limpar os desenhos.

Então, na hora da emergência recomendo este lápis. Ele foi meu herói, me salvou neste desenho,rsrsrs.

Vou dar a classificação para ele de 4 girassóis, apesar de ter amado, por um simples motivo: só achei para comprar em páginas de compras estrangeiras (tenho medo de compras internacionais)! Se alguém souber de algum lugar no Brasil que vende me avise, sei de um monte de alunos interessados nele.





Até mais artistas e arteiros de plantão! :D

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Lápis de cor aquarelável da Acrilex - a polêmica!

Oi pessoal!

Terminei o meu desenho do Cupido e usei para colorir o lápis de cor aquarelável da Acrilex. Faz um certo tempo que o comprei, paguei R$15,47 na época (acho que já deve ter subido o preço). A embalagem é essa.


Tenho que confessar que quando vi este lápis na papelaria dei pulos de alegria! Durante muito tempo o lápis aquarelável da Faber reinava absoluto (e sempre caro). Era uma boa novidade para nós artistas iniciantes que precisavam de um material mais em conta. Fora que quem mora no interior ou em cidades distantes das capitais sempre sofre com lojas de artesanato e papelarias bem pobres, sem opção.

Porém vi alguns amigos professores de desenho proibindo seus alunos de comprarem este lápis. Eis o principal problema que comprovei com meu lápis, o tal do cor de pele (amarelo pele (pele de quem?), salmão, etc, etc....Esta história de nomenclatura de cores fica pra outro post!).
Pois é gente, muitos reclamam, falam que é difícil pintar peles com ele pelo tom. Nesse ponto não tive muitos problemas. Achei ruim que ele quebrou muito ao apontar (alguns já reclamaram que a madeira do lápis estava ruim, dura de apontar) e achei ele meio seco, não sei se é pelo fato de estar ficando um pouco velhinho. Sofri um pouco para fazer mistura de cor com ele.
As outras cores não deram estes problemas.

 A pintura ficou um pouco riscada por causa do lápis que achei seco por ser um aquarelável, que a gente espera maciez e pigmentação.

Outra coisa que achei ruim foi o fato das cores não terem um número de identificação e nem o nome escrito. Isso atrapalha porque se eu quisesse fazer um tutorial usando o lápis e mesmo durante as aulas não posso falar para meus alunos pegarem a "tal" cor  ou a cor de número "tal". Também é ruim para alunos daltônicos, principalmente o verde, marrom e o vermelho tenho que dar aquela básica raspada com estilete e escrever o nome da cor com uma caneta esferográfica.

Mesmo assim, eu continuo indicando para você que está começando, precisa de um lápis para estudos.

Vou testar direitinho o feito aquarela dele (este papel que usei não é adequado para isso) e depois comento aqui.

Em uma escala de cinco a zero girassóis de Van Gogh, dou quatro girassóis pelo preço, qualidade média e facilidade de acesso.


Atualizando....10/02/2015

Gente, quero mudar de opinião e deixar um alerta!
Depois de um tempo meu lápis ressecou e tive que dar fim neles, uma pena, dinheiro jogado fora....Não tô recomendando este desta caixinha para ninguém tá! 

But... Parece que relançaram este lápis em outra caixinha e não testei se mudou ou não. Fico a disposição da empresa se quiser me mandar para testar o novo lápis tá, mas repito, não estou recomendando para mais ninguém esse velhinho aqui :( !

E meu desenho, como ficou? Olha só!


Espero que tenham gostado! Até mais pessoal!

terça-feira, 16 de julho de 2013

Iniciando um desenho...Quais materiais usar?

Olá pessoal!

Hoje criei vergonha e voltei a desenhar. Estou com muitos projetos na minha cabeça e preciso por no papel. Também estou tentando desenvolver um design legal para este blog, porém estou apanhando horrroooores,rs, por isso ele ainda está assim, meio bagunçado. Parecendo um ateliê de um artista ou um teatro com figurinos e cenários jogados pra tudo que é canto,hehehe.

O teatro e as artes visuais são duas paixões minhas e hoje resolvi começar a desenhar o figurino da peça que escrevi e vou dirigir, chamada "Esse tal de amor". Escolhi começar pelo figurino do Cupido e o próximo provavelmente vai ser o da mãe dele, a deusa Vênus (ou Afrodite para os gregos).

Para começar um desenho precisamos de um lápis 2B e uma borracha artística, também conhecida como limpa - tipos (é, para você que nunca viu uma máquina de datilografia na vida, eles usavam esta massinha para limpar as letrinhas, chamadas também de tipos). Existem vários tipos de grafite, recomendo o 2B por ele ser mais macio. Hoje usei estes materiais:

Hoje foi a primeira vez que usei esta folha sulfite. Ela é mais grossa (120g). Achei bem digna para croquis e desenhos sem água!


 Gente, meu limpa - tipos é velhinho, ele é uma maciez só! Adoro ele porque ultimamente tá difícil achar algum outro de boa qualidade e quiser deixar aqui nos comentários eu agradeço!

É muito bom ele ser molinho porque daí você pode dar o formato que quiser o que ajuda e muito a fazer detalhes principalmente em desenhos realistas.



 Olha uma nuvem na minha mão,rsrs.

 Faço este formato para desenhar linhas finas, apagando partes da base que fiz antes.
  Também gosto de fazer cobrinhas com limpa - tipos para clarear o desenho. Vou rolando o sobre o desenho e ele vai clareando.

Como o desenho é pequeno usei uma lapiseira 0.5 para detalhar. Eu gosto de usar o grafite 2B, acho mais macio e marca menos o papel. Quero deixar meu aviso aqui aos iniciantes. CUIDADO COM LAPISEIRAS! NÃO PRECISA ACALCAR. Folha marcada atrapalha (e muito!) na hora do acabamento. 

 Já estava esquecendo de comentar, o limpa - tipos (ou borracha artística) é bem melhor em relação às borrachas porque não solta farelos, não fica aquela bagunça toda sabe? O grafite fica todo grudado nele e vai escurecendo. Quando estiver ficando muito escuro tem de jogar fora. No final da vida útil esta borracha artística começa a soltar o grafite e a sujar seu trabalho.


Aqui está meu desenho do Cupido, agora só falta finalizar. Vai ficar para outro post. Até mais!

terça-feira, 9 de julho de 2013

Por que existe este blog?

Olá pessoal! Este é o primeiro post que faço para este blog. Faz tempo que estou pensando em criá-lo para deixar algumas dicas sobre materiais artísticos que uso, curto e outros nem tanto assim,rsrsrs. Um espaço para anotar e divulgar o que vivo, penso e amo. Espero que gostem e que seja útil.